Homem confessa que matou mulher a marteladas, mas alega legítima defesa - TV FOLHA

Breaking

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Homem confessa que matou mulher a marteladas, mas alega legítima defesa



Procurado pela morte de Andressa Maria Suzin Ferreira, 24 anos, no dia 12 de agosto, Silvio Vasnei Guedes dos Santos, 38, se apresentou à Polícia Civil de Caxias do Sul na manhã desta segunda-feira. Acompanhado de seu advogado, o foragido confessou a autoria, mas alegou legítima defesa. Em depoimento, Santos afirmou que, durante uma discussão, Andressa teria investido contra ele e, por isso, utilizou um martelo para se defender.

De acordo com a delegada Carla Zanetti, da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam), o suspeito estava com a prisão preventiva decretada desde a semana passada. No depoimento, que se estendeu até o início da tarde, Santos alegou que mantinha um relacionamento com Andressa há 10 anos.

A discussão deles, segundo o autor confesso, iniciou porque Andressa queria sair e o investigado preferia ficar em casa. Santos alega que a namorada o atacou com um ferro de passar roupa. Sobre o martelo utilizado "para se defender", o investigado afirma ter arremessado em um esgoto após fugir do local da briga — sua própria casa.

Após o depoimento na delegacia, Santos foi encaminhado para o sistema penitenciário. O inquérito deverá ser concluída em 10 dias. O autor confesso não tinha antecedentes criminais e o casal não possuía histórico de violência doméstica.

Relembre o crime

O crime ocorreu na noite de 12 de agosto por volta das 21h30min. Na ocasião, Santos telefonou para parentes e afirmou que "fez uma besteira". Os familiares foram até a residência dele e encontraram Andressa  morta no quarto. Após a ligação, Santos não havia sido mais localizado até se entregar à Polícia Civil nesta segunda-feira.

As informações preliminares apontaram que Andressa foi morta com golpes de facão na cabeça e também apresentava sinais de esganadura. O investigado, contudo, alega ter utilizado um martelo. A Polícia Civil aguarda a necropsia para ter mais detalhes do ataque.

Familiares de Santos alegaram que ele namorava com Andressa há anos e, apesar de não morarem juntos , mantinham encontros periódicos. Já os parentes da vítima afirmam que eles eram ex-namorados e que o homem já teria ameaçado Andressa após o término da relação.

— Faz mais de dois anos que eles não estavam juntos. Recentemente, a Andressa relatava que ele (Santos) a estava perseguindo no trabalho dela e em festas e também que a ameaçava. Não sei o porquê ela não procurou a polícia, talvez por medo. (Na noite do crime), ele (Santos) deve ter pego ela na rua. Não tinha como a minha irmã ir até a casa dele — conta uma irmã de Andressa, que prefere não ser identificada.

Gauchazh

Nenhum comentário:

Postar um comentário